PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (PPGAU)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone:
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: FLAVIO BRANDAO BOAVENTURA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FLAVIO BRANDAO BOAVENTURA
DATA: 03/07/2020
HORA: 15:00
LOCAL: Sala virtual, link: meet.google.com/qgt-pucx-imu
TÍTULO: Padrão Espacial e Dimensão Humana dos Espaços Livres para Prática Social no Campus I da UFPB: Estudo do Quarteirão do Conjunto Humanístico
PALAVRAS-CHAVES: Espaços Livres, Morfologia Urbana, Padrão Espacial e Dimensão Humana
PÁGINAS: 130
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Arquitetura e Urbanismo
RESUMO: Esta pesquisa relaciona a configuração espacial do conjunto humanístico (Campus I, UFPB) com fluxos e vivências reais. O Campus I da Universidade Federal da Paraíba – UFPB tem um público nomeado por comunidade universitária que vivencia o sistema de circulação de pessoas e espaços de aglomeração, apresentando uma diversidade humana (idade, condição social, cultura, etc). O conjunto humanístico representa uma diversidade e intensidade de usuários que se assemelha a uma pequena cidade, incluindo batismo popular de espaços de convivência e identificação de grupo por local em detrimento de outro. Entendendo a configuração espacial como potencializadora de usos e fluxos, o ambiente universitário apresenta potencialidades de fluxo nos percursos e de co-presença nos espaços de permanência, facilitando trocas entre pessoas. A pesquisa identifica o real trafego dos caminhos de pedestre e da ocupação dos locais de aglomeração no conjunto humanístico, caracterizando como os usuários vivenciam os Espaços Livres de Prática Social - ELPS, e relaciona-os com fluxos e encontros potenciais. Para desenvolver a pesquisa o recorte de estudo foi a quadra que engloba quatro (CCHLA, CE, CCSA e CEAR) dos onze centros de ensino no campus I. Para compreender o sistema de circulação de pessoas e do Sistema de Espaços Livres - SEL foi utilizado a metodologia de decomposição morfológica apresentada por Coelho (2013) e o conceito sobre espaços livres de Custódio, et al (2011). Para analisar os fluxos e encontros potenciais do ambiente universitário foi estudado o padrão espacial sob a perspectiva da Teoria da Lógica Social do Espaço apresentado por Holanda (2002) e Donegan (2019). Para identificar os fluxos e encontros reais foram mapeados a circulação de pedestre e os espaços de pratica social utilizando por referência o estudo da dimensão humana na obra de Gehl, (2013 e 2018). A relação entre fluxos reais e potenciais revela o papel da hierarquia interna, aliado ao papel importante da ligação com o acesso ao campus. Espaços com características diversas dão lugar a uma diversidade de práticas dentro do conjunto humanístico, entre espaços de maior socialização, de estudo, de refeição, de introspecção, etc. A pesquisa apresenta a eficácia da decomposição morfológica para mapeamento e classificação e mostra como o estudo da dimensão humana permite identificar o uso e a função dos ELPS influenciado pelo padrão espacial, conforto ambiental e pela ergonomia do mobiliário, e pode servir de subsídio para futuras intervenções.
MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - EDJA BEZERRA FARIA TRIGUEIRO
Interno - 1548892 - GEOVANY JESSE ALEXANDRE DA SILVA
Presidente - 2398542 - LUCY DONEGAN