PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (PPGAU)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: BEATRIZ BRITO MENDES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: BEATRIZ BRITO MENDES
DATA: 16/12/2021
HORA: 14:00
LOCAL: meet.google.com/byf-jntj-frs
TÍTULO: As Mulheres pela Cidade: Usos e percepções femininas sobre os Espaços Públicos no Centro de Campina Grande – Pb
PALAVRAS-CHAVES: Mulheres; Espaços públicos; Percepções; Experiências urbanas.
PÁGINAS: 278
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Arquitetura e Urbanismo
RESUMO: A formação histórica de nossas cidades e, em particular, do Nordeste brasileiro, contribuiu para a consolidação de espaços públicos que possuem forte tendência de gênero. A divisão sexual do trabalho e a objetificação dos corpos são alguns dos fatores sociais que exercem influência na forma segundo a qual as mulheres utilizam a cidade, e que, atrelados a alguns aspectos da morfologia urbana, contribuem para que elas sejam constantemente desmotivadas a vivenciar o meio urbano ou que tenham suas experiências marcadas pela mobilização de táticas, aptas a lhes conferir um mínimo de segurança e de conforto em suas atividades sociais urbanas. Com o objetivo de investigar as práticas socioespaciais das mulheres e sua percepção em relação aos atributos morfológicos dos espaços públicos do Centro de Campina Grande, na Paraíba, foram realizados levantamentos de campo e entrevistas com as usuárias do bairro. A metodologia permitiu apreender e debater sobre como os aspectos, objetivos ou subjetivos, ligados aos atributos físicos do espaço e à individualidade da mulher, respectivamente, são importantes e exercem influência no modo com o qual elas circulam pelos espaços, na criação do medo ou da sensação de segurança. Dessa forma, elementos da morfologia urbana, como a iluminação, infraestrutura das calçadas, usos das edificações, configuração das fachadas, ausência de pessoas nas ruas, presença de homens ou de mulheres circulando; e os relacionados à vivência da mulher na cidade, da familiaridade ou afeição com locais do bairro, assim como a estigmatização de gênero, incorporada nos discursos femininos aqui apreendidos, aparecem como fatores que, associados, possibilitam diferentes experiências urbanas. Os resultados apontam para a necessidade de repensar a divisão sexual, tanto do trabalho, quanto social nos espaços públicos, e para importância de valorizar a pluralidade da experiência feminina no processo de planejamento urbano, utilizando-a como elemento-guia das modificações urbanas que miram na busca pelo direito democrático à cidade. Além disso, ao considerar as diversas experiências, usos e relações que acontecem no espaço, com a acumulação e sobreposição de conceitos que bebem em fontes filosóficas e sociológicas, a pesquisa abre margem para evoluir no debate e nas problemáticas que envolvem a experimentação e a cidade, formulando reflexões a respeito da “subjetividade urbana”.
MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1349730 - FRANCISCO DE ASSIS DA COSTA
Externo à Instituição - LÍVIA IZABEL BEZERRA DE MIRANDA
Presidente - 1768957 - MARCELE TRIGUEIRO DE ARAUJO MORAIS