PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (PPGAU)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: MAYARA CYNTHIA BRASILEIRO DE SOUSA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MAYARA CYNTHIA BRASILEIRO DE SOUSA
DATA: 06/06/2022
HORA: 14:00
LOCAL: meet.google.com/yob-ikus-swj
TÍTULO: PROPOSTA DE UM ÍNDICE PREDITIVO DE CONFORTO TÉRMICO: ESTUDO DE CAMPO EM AMBIENTES VENTILADOS NATURALMENTE EM CAMPINA GRANDE - PB
PALAVRAS-CHAVES: conforto térmico; modelos adaptativos; Campina Grande
PÁGINAS: 160
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Arquitetura e Urbanismo
RESUMO: Os modelos preditivos de conforto térmico adaptativos avaliam espaços naturalmente ventilados e partem da hipótese da existência de uma relação causal entre a temperatura interna aceitável com a temperatura externa, considerando aspectos de adaptação física, fisiológica e psicológica. As oportunidades de adaptação podem, portanto, expandir ou reduzir as zonas térmicas consideradas confortáveis, o que frequentemente gera superestimação das possibilidades adaptativas, principalmente, em espaços que existem normas sociais capazes de interferir no comportamento das pessoas. Por outro lado, as suposições clássicas que a atividade termo regulatória mínima implica na aceitabilidade máxima, sendo a percepção do calor um estímulo puramente térmico e fisiológico e sensações térmicas não neutras, implicando em desconforto, têm se mostrado inadequadas. Neste sentido, esta pesquisa busca, através de um estudo de caráter longitudinal, estimar um algoritmo preditivo de conforto térmico para ambientes ventilados naturalmente na cidade de Campina Grande – PB. Para isto, inicialmente foi esboçado uma análise sistemática de 30 anos, que fundamentou os protocolos e métodos adotados na pesquisa. Foram entrevistadas 1441 pessoas, em espaços educacionais, residenciais e de lazer, incluindo adolescentes, adultos e idosos; paralelamente se aferiu as principais variáveis ambientais térmicas, a saber, temperatura do ar, temperatura radiante média, umidade relativa do ar e velocidade do ar. As variáveis temperatura operativa, umidade relativa do ar e velocidade do ar se mostraram estatisticamente significativas para estimar a sensação térmica, bem como, o conforto térmico e a preferência térmica. Baseado na mostra modelos de conforto térmico foram estimados por meio de técnicas matemáticas e estatísticas de regressão linear simples, regressão linear múltipla, intervalo de confiança, modelos lineares não generalizados, aprendizado de máquina e o algoritmo de k-vizinhos e o método de Griffith. O modelo adaptativo da ASHRAE 55 (2020), e o intervalo de confiança modelado, apresentaram mais de 80% de acerto nas estimativas, sendo modelos adequados para estimar a sensação e percepção térmica em ambientes ventilados naturalmente no clima semiárido de Campina Grande.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1636125 - SOLANGE MARIA LEDER
Interno - 1856580 - FELIPE TAVARES DA SILVA
Interno - 6336620 - LUIZ BUENO DA SILVA
Externo à Instituição - ALDOMAR PEDRINI
Externo à Instituição - ENEDIR GHISI