PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (PPGAU)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
Não informado

Notícias


Banca de QUALIFICAÇÃO: FELIPE EUGÊNIO DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FELIPE EUGÊNIO DA SILVA
DATA: 12/09/2022
HORA: 10:00
LOCAL: meet.google.com/wei-akdc-kpm
TÍTULO: Negros em território de brancos: A Irmandade do Rosário dos Pretos como agente na formação do espaço urbano da Cidade da Parahyba – Séc. XVIII-XX
PALAVRAS-CHAVES: Memória; Cidade colonial; Irmandades; Rosário dos Pretos; Parahyba.
PÁGINAS: 100
RESUMO: RESUMO DO TRABALHO EM PORTUGUÊS: A presente dissertação aborda, a partir de uma investigação histórica, o resgate da memória da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos na conformação do espaço urbano e produção arquitetônica na Cidade da Parahyba, atual João Pessoa. A Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos figurou no primitivo núcleo urbano da cidade, até a segunda década do século XX, como um dos seus principais exemplares da arquitetura religiosa colonial. O monumento edificado pela Irmandade de mesmo nome tornou-se vítima do chamado “progresso” que vigorou no período da Primeira República, caracterizado pela modernização das cidades brasileiras, cujo aspecto paisagístico de viés ainda colonial estaria passível de ser suplantado através da demolição de exemplares edificados, assim como por novas propostas de apropriação dos espaços públicos. A demolição da Igreja do Rosário dos Pretos e a considerável escassez de registros documentais acerca do seu aspecto arquitetônico contribuíram, de certo modo, para o esquecimento da passagem da Irmandade do Rosário na cidade, e o consequente apagamento histórico do seu principal legado material, das suas expressões imateriais enquanto forma de apropriação do espaço urbano e, por conseguinte, o desenvolvimento urbano da Cidade da Parahyba com destaque à população negra. O presente trabalho busca, através de métodos variados, sistematizar as contribuições e efeitos impressos na paisagem a partir da permanência deste grupo, considerando a atuação da Igreja com relação à dinâmica fundiária, as problemáticas em torno da população negra no cenário colonial, bem como o conjunto de relações desenvolvidas entre agentes específicos e suas implicações para a conformação do espaço urbano. Intenta-se ainda remontar, a partir de dados coletados em acervo cartográfico, fotográfico e jornalístico de época, assim como a partir de outras igrejas da Irmandade do Rosário, a produção arquitetônica desenvolvida pela Irmandade dos Pretos na Cidade da Parahyba.
MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - FRANCISCO SALES TRAJANO FILHO
Presidente - 335061 - IVAN CAVALCANTI FILHO
Interno - 338233 - MARIA BERTHILDE DE BARROS LIMA E MOURA FILHA