PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (PPGAU)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: DEMÓSTENES ANDRADE DE MORAES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DEMÓSTENES ANDRADE DE MORAES
DATA: 03/05/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Sala Mulmidia DAU
TÍTULO: Entre a subcidadania e o direito à cidade. Estudos críticos sobre a urbanização de favelas no Brasil e as zonas especiais de interesse social (zeis) no RECIFE – PE
PALAVRAS-CHAVES: Assentamentos Precários; Favelas; Zonas Especiais de Interesse Social
PÁGINAS: 396
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Arquitetura e Urbanismo
RESUMO: A presente Tese revela, a partir da recuperacao das experiencias pelo direito a cidade no mundo, pela urbanizacao e regularizacao das favelas no Brasil e pelas Zonas Especiais de Interesse Social (ZEIS) no Recife, que as acoes diretas e institucionais, promoveram, predominantemente, o acesso a condicoes parciais de reproducao socioespacial, insuficientes para superar as condicoes persistentes de discriminacao, desigualdade e subcidadania, acentuadas pela predominancia das perspectivas neoliberais e conservadoras contemporaneas. Essa recuperacao teve no metodo dialetico o caminho de referencia a abordagem dos estudos e reflexoes, considerando o interesse em verificar as contradicoes e possibilidades das acoes pelos assentamentos precarios quanto a concepcoes relativas ao direito a cidade. Alem de analises de documentos e do tratamento a dados secundarios, foram realizadas, tambem, entrevistas com ativistas pela Reforma Urbana e pelo Direito a Cidade do Brasil e com lideres comunitarios das favelas do Recife para dar suporte a pesquisa e analises. Foi possivel constatar na Tese que, a despeito das condicoes estruturais e conjunturais desfavoraveis, parte das acoes e instrumentos das experiencias de urbanizacao e regularizacao de favelas e as iniciativas coletivas alternativos recentes pelo direito a cidade podem subsidiar acoes, instrumentos e instancias de cogestao (ou autogestao) com vistas a construcao de uma nova urbanizacao democratica, inclusiva e justa. Resta como desafio, articular oprimidos e insatisfeitos com a urbanizacao desigual e alienante, tendo a justica espacial, os bens comuns e autogestao como horizontes pelo direito a cidade.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 337195 - DORALICE SATYRO MAIA
Externo à Instituição - JAN BITOUN
Interno - 337162 - JOVANKA BARACUHY CAVALCANTI
Externo à Instituição - MARIA DULCE PICANÇO BENTES SOBRINHA
Externo ao Programa - 1971043 - RAFAEL FALEIROS DE PADUA