PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (PPGAU)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone:
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: MARIANA CALDAS MELO LUCENA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIANA CALDAS MELO LUCENA
DATA: 24/08/2015
HORA: 15:00
LOCAL: Sala de Multimídia
TÍTULO: Avaliação do conforto luminoso nas salas de aula do Centro de Tecnologia na Universidade Federal da Paraíba.
PALAVRAS-CHAVES: iluminação natural, iluminação artificial, salas de aula, economia de energia
PÁGINAS: 110
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Arquitetura e Urbanismo
SUBÁREA: Tecnologia de Arquitetura e Urbanismo
RESUMO: As questões educacionais têm desencadeado muitas discussões no Brasil, onde tem sido colocada em pauta a qualidade do desempenho dos alunos, principalmente em ambientes educacionais públicos. A organização EFL (Educational Facilities Laboratories) relaciona melhor aprendizagem a fatores como condições internas favoráveis: qualidade do ar, temperatura, umidade, ventilação, iluminação e acústica de salas de aula. Nesta pesquisa serão estuadas as questões relacionadas ao conforto visual, objetivando caracterizar o desempenho da iluminação natural e artificial como complemento da natural, visando identificar fatores que determinem ou contribuam para ocorrência de níveis inadequados de iluminância, baixa uniformidade, presença de ofuscamento, baixa eficiência energética no interior das salas de aula gerar conhecimento para aplicação prática e solução de problemas específicos da iluminação, atrelado a economia de energia nas salas de aula do Centro de Tecnologia da Universidade Federal da Paraíba. O método adotado para a análise do comportamento da luz natural foi a simulação computacional, onde os parâmetros dinâmicos analisados foram (fator de luz do dia e autonomia da luz natural), a partir disto os ambientes foram divididos em em zonas de diferentes níveis de iluminação, de forma que fosse possível identificar onde há maior necessidade de uso de iluminação artificial suplementar. Para quantificar a economia de energia dos sistemas existentes em relação aos propostos a partir da divisão de zonas foram feitas simulações no Daysim. Concluindo que em todas as salas de aula estudadas a luz natural não possui autonomia suficiente para alcançar os níveis de iluminância recomendado pela norma para ambientes de ensino, necessitando assim de um sistema de iluminação elétrica que complemente o déficit de luz, ou seja, um sistema integrado de luz natural e artificial complementar.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1790856 - CARLOS ALEJANDRO NOME SILVA
Externo ao Programa - 337963 - CLAUDIA VERONICA TORRES BARBOSA
Externo à Instituição - RICARDO CARVALHO CABÚS