PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (PPGAU)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone:
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: BARBARA LUMY NODA NOGUEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: BARBARA LUMY NODA NOGUEIRA
DATA: 09/04/2018
HORA: 15:00
LOCAL: Sala Multimidia Depto Eng Civil
TÍTULO: Conforto térmico, percepção e reação de trabalhadores ao ambiente térmico em escritórios condicionados artificialmente no contexto do clima quente e úmido
PALAVRAS-CHAVES: Conforto térmico; condicionamento artificial; percepção do usuário
PÁGINAS: 159
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Arquitetura e Urbanismo
SUBÁREA: Tecnologia de Arquitetura e Urbanismo
ESPECIALIDADE: Adequação Ambiental
RESUMO: O conforto e a qualidade ambiental estao entre as condicoes necessarias para promover a saude, a seguranca e a produtividade dos trabalhadores. Nesse contexto, observa-se atualmente que grande parte dos ambientes de trabalho, principalmente nos meios urbanos, tem ampliado o uso do condicionamento artificial para garantir as condicoes de conforto termico – a despeito das condicoes climaticas do meio externo. A questao colocada a partir deste fato aborda os parametros adotados no ajuste do sistema de climatizacao e o atendimento as necessidades de conforto dos usuarios de uma cidade com clima quente e umido. Trata-se de um estudo de caso de um edificio institucional, com ambientes de escritorios cujo controle termico e realizado exclusivamente por sistema de ar condicionado, localizado na cidade de Joao Pessoa – PB. As variaveis ambientais – temperatura do ar, umidade relativa, velocidade do ar e material particulado – de 136 postos de trabalho foram monitoradas ao longo de um mes ininterrupto no ano de 2016, e, paralelamente as medicoes tecnicas, foram aplicados questionarios com os respectivos usuarios quanto aos votos de sensacao e preferencia termica. Adicionalmente, sao exploradas as acoes de adaptacao dos ocupantes para sua adequacao as condicoes do ambiente termico percebido no seu espaco de trabalho. Os resultados demonstraram que, enquanto a temperatura operativa media foi de 22,81°C, os votos dos ocupantes indicaram como temperatura de neutralidade termica o intervalo entre 22,5°C e 23,5°C, demonstrando que o sistema de climatizacao, embora seja adotado para diminuir o desconforto por calor, acarreta desconforto por frio. Ainda que o sistema objetive a uniformizacao das condicoes termicas no ambiente interno, foram verificadas oscilacoes nas condicoes entre os postos individuais, atingindo a diferenca de ate 5,46°C. Destaca-se no estudo o fato dos ocupantes procurarem modificar o ambiente e fazer o ajuste que julgam necessario para compensar as condicoes termicas menos favoraveis, adotando primordialmente as acoes mais acessiveis e vinculadas as condicoes pessoais, especialmente as adaptacoes da vestimenta. Foi verificada ainda a relevancia estatistica da associacao dos votos de satisfacao com a temperatura com as acoes de adaptacao.
MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CHRISTHINA MARIA CÂNDIDO
Externo à Instituição - LUCILA CHEBEL LABAKI
Externo ao Programa - 6336620 - LUIZ BUENO DA SILVA
Presidente - 1636125 - SOLANGE MARIA LEDER