PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA (PPGH)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal:
3216-7915
http://www.ufpb.br/pos/ppgh

Apresentação


Apresentação

O Programa de Pós-Graduação em História (PPGH), aprovado em 2003 pelos órgãos deliberativos da UFPB, reconhecido e credenciado pela CAPES em novembro de 2004, constitui-se como Mestrado Acadêmico, com Área de Concentração denominada História e Cultura Histórica, que expressa a articulação entre o processo histórico, a produção do conhecimento e a sua transmissão, desdobrando-se em duas linhas de pesquisa: História e Regionalidades e Ensino de História e Saberes Históricos.

  

Área de Concentração

A área de concentração História e Cultura Histórica procura traduzir o circuito da qualificação profissional necessária à operação histórica: a formação teórica e metodológica, a análise das experiências históricas e a socialização dos conhecimentos produzidos. Entende-se que, nessa direção, é necessário elaborar e explorar um programa, um conjunto de pesquisas capaz de tornar claras as construções que a expressão cultura histórica recobre no que concerne ao contexto onde é produzida e aplicada, bem como os grupos sociais que a engendraram ou engendram. Tal empreendimento está inserido na difusão de uma tradição escrita e midiática à margem da ciência histórica propriamente dita, mas com notável disseminação na contemporaneidade.

  

Ementas das Linhas de Pesquisa

História e Regionalidades

Na articulação entre a área de concentração do Programa e a Linha de Pesquisa História e Regionalidades mostra-se relevante o fato de que, numa definição preliminar de cultura histórica, tenha-se como campo de suas reflexões as perspectivas das regionalidades. Assim, o processo histórico, com ênfase na historicidade regional (regionalidades, regiões, regionalismos, locais da cultura, da economia e da política) é um espaço de atuação que permite a formação de recursos humanos (historiadores) com melhor conhecimento de suas realidades e dos acervos documentais. A relevância que tais processos têm tido no tempo presente, na construção de culturas políticas aplicadas à cidadania e à democracia e, particularmente, na renovação do ensino de história na educação básica e no ensino superior, possibilita um aprofundamento no campo da história e da cultura histórica. Os estudos que vimos desenvolvendo sobre as historicidades regionais e locais, compreendem a região como construção. Construção que as pesquisas históricas buscam elucidar, através da análise do papel dos agentes envolvidos e dos processos relacionados com os espaços nacionais e globais. Aqui a discussão da noção de cultura histórica está fortemente marcada pela articulação com o conceito de cultura política, por meio de análises das formas de exercício (práticas) e representações do poder político pelo Estado, pelas instituições, pelos diversos grupos sociais, por movimentos sociais, entre outros agentes. As regionalidades são assim compreendidas como construtos históricos, de caráter simbólico-político, componentes das culturas históricas produzidas, divulgadas e apropriadas por sujeitos historicamente situados. Desenvolvem-se também, nesta Linha, pesquisas acerca da cultura material, dos sistemas de representações regionais e da produção de bens simbólicos, das relações entre a memória histórica e o imaginário político e social regionais.

 

Ensino de História e Saberes Históricos

Os estudos e pesquisas que a Linha tem desenvolvido partem da premissa de que o ensino de história, prerrogativa dos profissionais da história e das culturas escolares, precisa, cada vez mais, ser mediado pelos saberes históricos, responsáveis, em grande parte, pelas porosidades intrínsecas à cultura histórica. Dessa forma, ao se reconhecer que a cultura histórica não está exclusivamente presa ao ofício do historiador, é necessário que se aprofundem as pesquisas para a própria existência da comunidade de historiadores. Portanto, mostra-se relevante o fato de que, em uma definição preliminar de cultura histórica, tenha-se como campo de suas reflexões as perspectivas das regionalidades e o ensino de história e dos saberes históricos. Entendendo que os historiadores e os professores de história não detêm mais, na contemporaneidade, o monopólio da produção do conhecimento histórico e, muito menos, de sua transmissão, as pesquisas têm caminhado no sentido de procurar compreender que outras formas de relação com o passado os sujeitos históricos/sociais empreendem por meio das memórias, dos silêncios, das lacunas e dos não ditos. A preocupação com o público que procura o Programa e a Linha Pesquisa de Ensino de História e Saberes Históricos e articulações entre a produção do conhecimento acadêmico e o conhecimento escolar no que diz à formação do professor, no sentido de ampliarmos o debate interdisciplinar, a reflexão teórico-conceitual e metodológica sobre os saberes históricos.

 

____________________________________________

 

Sæculum – Revista de História

Sæculum - Revista de História é publicada pelo  Departamento de História da UFPB desde 1995 e, a partir de 2004, passou a ser também o periódico do  Programa de Pós-Graduação em História da mesma universidade. Desde então sua frequência é semestral, e se trata de uma revista voltada à divulgação e debate de pesquisas no campo da História e da Cultura Histórica e suas diversas interfaces, abrindo espaço para o diálogo entre pesquisadores do Brasil e do exterior. Está avaliada como Qualis B1 na área de História pela Capes e é indexada no DOAJ (Directory of Open Access Journals) e no Latindex.  

 

____________________________________________


Página Alternativa


Coordenação do Programa