PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA (PPGH)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
(83) 3216-7915

Apresentação

Imagem de apresentação do programa

Apresentação

O Programa de Pós-Graduação em História (PPGH), aprovado em 2003 pelos órgãos deliberativos da UFPB, reconhecido e credenciado pela CAPES em novembro de 2004, constitui-se como Mestrado Acadêmico, com Área de Concentração denominada "História e Cultura Histórica", que expressa a articulação entre o processo histórico, a produção do conhecimento e a sua transmissão, desdobrando-se em duas linhas de pesquisa: "História e Regionalidades" e "Ensino de História e Saberes Históricos".

  

Área de Concentração 

História e Cultura Histórica

A área de concentração “História e Cultura Histórica” caracteriza-se por estimular e abarcar investigações que abordem as múltiplas formas de produção, apropriação e usos do conhecimento histórico e do passado e sua expressão na contemporaneidade. Entende-se por Cultura Histórica uma área da Teoria da História dedicada a refletir sobre a produção da experiência histórica na sociedade e como as comunidades formam e transmitem sua visão do passado, incluindo nisso não apenas a historiografia acadêmica, mas também diferentes narrativas na sociedade sobre história, seu conhecimento, suas linguagens e suportes. Entre estes âmbitos, destaca-se a formação teórico e metodológica, a análise de diferentes experiências históricas e a socialização dos conhecimentos produzidos. Neste sentido, esta área de concentração procura também acompanhar o circuito da qualificação profissional necessária à produção do conhecimento histórico, sua análise crítica e seu ensino, através de ângulos fundamentais da cultura histórica. Esta abordagem compreende que as disputas sócio-políticas, nos distintos processos históricos, engendram concepções de história que, por sua vez, contribuem para atribuir significados sociais a práticas e relações estabelecidas no presente, ou seja, constituem formas de cultura histórica, o constructo sistêmico-simbólico que estabelece relações entre o presente e o passado de uma sociedade ou grupo social em seus esforços por compreender, explicar, conservar ou transformar determinados ordenamentos, práticas e identidades sociais. Deste modo, a cultura histórica pode ser produzida por diversos meios e agentes, a exemplo das artes, das mídias, das instituições de memória, dos discursos políticos, dos textos e interpretações religiosas, da tradição oral, entre outros. Assim, se, por um lado, a compreensão da existência da cultura histórica conduz ao reconhecimento de que a elaboração de formas de compreensão do passado não é monopólio do(a) profissional de História, por outro, a investigação acadêmica, alicerçada na formação teórico-metodológica que subsidia a análise crítica das fontes empíricas, deve necessariamente refletir acerca dos processos de constituição dessas concepções e saberes socialmente difundidos sobre o passado. É, portanto, imprescindível ao(à) historiador(a) analisar de modo crítico as condições sociais da produção e difusão de uma determinada cultura histórica e suas relações com a própria produção acadêmica do conhecimento histórico. Para que estas perspectivas sobre a cultura histórica possam ser desenvolvidas com maior densidade, foram elaboradas duas linhas de pesquisa: “História e Regionalidades” e “Ensino de História e Saberes Históricos”.

  

Linhas de Pesquisa

História e Regionalidades

A Linha de Pesquisa “História e Regionalidades” define-se pelo desenvolvimento de investigações sobre a construção histórica das regionalidades, elementos simbólico-políticos que constituem os aspectos culturais, sociais, políticos e econômicos de uma região, entendida como parte em articulação com o que se toma como processos locais, nacionais, transnacionais ou globais. A ênfase desta linha de pesquisa está diretamente relacionada com a área de concentração “História e Cultura Histórica” na medida em que propõe abordar, desde uma perspectiva de análise regional, conteúdos de cultura histórica, tratando de desnaturalizar a ideia de regionalidade como uma representação espacial estritamente geográfica ou cartográfica, e sim como construções históricas e sociais. As regionalidades são, portanto, compreendidas como constructos históricos componentes das culturas históricas produzidas, divulgadas e apropriadas por agentes sociais em disputas envoltas em concepções de historicidade, podendo assumir a forma de integração, de distinção ou de rupturas em relação a dimensões mais amplas. Isto implica pensar, por exemplo, em disputas sociais e de poder em torno da memória, de práticas culturais, da formação de identidades sociais, de narrativas históricas, dos territórios e territorialidades físicos e simbólicos e da constituição de projetos de futuro calcados em concepções de história. As investigações desta linha de pesquisa, dedicadas a debater a construção histórica das regionalidades, buscam contribuir para desconstruir concepções por vezes cristalizadas acerca dos atribuídos centros e periferias, e das relações e visões de mundo entre grupos sociais hegemônicos e subalternizados. Esta Linha de Pesquisa permite abarcar investigações sob abordagens e escopos teórico-metodológicos distintos acercas de questões características das regionalidades: relações étnico-raciais; relações de gênero e interseccionalidades; relações econômicas; relações políticas, entendidas tanto por práticas políticas cotidianas, culturas políticas ou políticas institucionais; trabalho, movimentos e classes sociais e suas relações com o Estado; circulação de ideias, representações, constituição de saberes e lugares de poder; práticas e concepções educacionais; práticas e imaginários religiosos.

 

Ensino de História e Saberes Históricos

A Linha de Pesquisa “Ensino de História e Saberes Históricos” define-se pelo desenvolvimento das investigações em torno dos saberes históricos e da cultura histórica em suas articulações com o ensino de História e a historiografia. Entende-se por saberes históricos um conjunto de elaborações e apropriações do conhecimento histórico e das temporalidades em seus significados e práticas no circuito da cultura histórica. Cultura histórica remete-se à existência de diversas formas de compreensão das distintas temporalidades, que vão além dos aspectos formais elaborados por historiadores(as) em seu ofício. Por sua vez, o ensino de História e a historiografia estão relacionados às condições formais de produção e circulação do conhecimento no âmbito da cultura historiográfica e das culturas escolares. Ao reconhecer-se que a cultura histórica não é exclusividade do ofício do(a) historiador(a), admite-se que é sua função analisar o impacto desses saberes no contexto do ensino e para além dele, buscando reflexões na perspectiva das histórias locais e regionais, que podem dialogar com contextos mais amplos. Os estudos que esta Linha de Pesquisa tem desenvolvido partem da premissa das especificidades dos saberes históricos, preocupando-se com as narrativas e estudos historiográficos produzidos por historiadores(as), mas também com as maneiras pelas quais o conhecimento histórico é produzido e transmitido, por meio do cinema, da literatura, da televisão, da imprensa, das artes plásticas, da dramaturgia, da cultura popular, dos cordéis, dos patrimônios e da educação patrimonial, da fotografia, da música, das mídias digitais, entre outras possibilidades. Isso permite que sejam investigadas linguagens que não faziam parte do instrumental narrativo utilizado por profissionais de História, mas que nas últimas décadas têm se mostrado campos férteis para a discussão do conhecimento histórico, além de possibilitar a pesquisa do uso dessas linguagens no âmbito escolar e acadêmico. Neste processo de pesquisa das diferentes formas de expressão e transmissão do conhecimento histórico e do ensino de História, pretende-se identificar conceitos e sujeitos e, a partir daí, compreender as relações com o passado empreendidas por meio de narrativas, memórias e silenciamentos, buscando a reflexão teórica sobre a própria prática historiográfica e docente. Esta Linha de Pesquisa acolhe o desenvolvimento das seguintes temáticas relacionadas ao ensino de História e aos saberes históricos: formação docente, licenciaturas e educação básica; currículo e cultura escolar; memória e educação patrimonial; legislações e políticas educacionais; usos de mídia e tecnologias contemporâneas na história; linguagens historiográficas; regionalidades e história local; biopolítica e instituições de formação; práticas de hegemonia; gênero e interseccionalidades; ecohistória; história pública; culturas políticas; teorias pós-coloniais, descoloniais e decoloniais; historiografia.

____________________________________________ 

O PPGH-UFPB tem como objetivos:

 

I – Objetivo Geral:

Formar profissionais de História sob princípios de rigorosa qualidade técnico-científica e respeito à diversidade de perspectivas teórico-metodológicas características da área, para atuar em diversos campos em que o conhecimento histórico se faz presente ou é demandado pela sociedade civil, pelas instituições públicas e pelo mercado de trabalho, especialmente aos relacionados às práticas de pesquisa e de ensino.

 

II – Objetivos Específicos:

a) Produzir Dissertações de Mestrado de qualidade referendada pela comunidade acadêmica da área de História relacionadas a processos sociais, políticos, econômicos, culturais, educacionais e religiosos, às condições de produção do conhecimento histórico, à cultura histórica e ao ensino de História;

b) Qualificar profissionais para a docência no Ensino Superior, com ênfase em uma sólida formação teórico-metodológica e a perspectiva de indissociabilidade das práticas de ensino e de pesquisa;

c) Qualificar profissionais para a docência na Educação Básica, com ênfase em uma sólida formação teórico-metodológica e a perspectiva de indissociabilidade das práticas de ensino e de pesquisa;

d) Qualificar profissionais da área de História para atuarem em instituições que desenvolvem políticas de preservação da memória e do patrimônio histórico, entidades culturais, meios de comunicação, movimentos sociais, organizações não governamentais, etc.; 

e) Capacitar profissionais para a realização de pesquisa histórica avançada de forma autônoma com vistas a contribuir diretamente para a ampliação de questões, métodos, técnicas e horizontes teóricos característicos da prática historiográfica;

f) Estimular suas/seus estudantes e egressas/os à permanente continuidade de sua formação e qualificação, em especial, ao aprofundamento de suas pesquisas e estudos em cursos de Doutorado

g) Desenvolver projetos, estudos e pesquisas históricas visando contribuições relevantes nos campos específicos abarcados pela Área de Concentração e pelas Linhas de Pesquisa do Programa;

h) Garantir condições de trabalho das/dos docentes credenciadas/os no Programa e sua contínua qualificação em cursos de pós-doutorado, a fim de manter sua autonomia nas atividades pertinentes à produção do conhecimento histórico e à formação sólida de suas/seus estudantes e orientandas/os;

i) Fomentar reflexões acerca do ensino de História e do conhecimento histórico escolar na Educação Básica e no Ensino Superior;

j) Contribuir para a identificação e preservação de acervos documentais e aos lugares de memória social, especialmente nas áreas de abrangência próximas territorialmente do Programa de Pós-Graduação e do exercício de pesquisa e demais atividades de atuação profissional de suas/seus docentes, estudantes e egressas/os;

l) Qualificar profissionais para a intervenção em debates e políticas sociais e culturais que demandem a compreensão de questões históricas relacionadas;

m) Contribuir para a diminuição e eliminação das desigualdades regionais, tendo em vista que a maior parte de seus objetos de investigação e da atuação profissional de seus egressos remete à região Nordeste e ao seu interior, historicamente carentes de investimentos que permitam a fixação de profissionais especializados qualificados;

n) Fomentar práticas profissionais colaborativas, por meio de grupos de pesquisas, convênios e parcerias institucionais, participação e organização de eventos, oferecimento de cursos didáticos e paradidáticos e demais espaços de trocas de experiências e realização de atividades acadêmicas e de popularização do conhecimento histórico.

o) Promover espaços de circulação do conhecimento histórico através da organização e coorganização de eventos acadêmicos e da publicação regular de seu periódico especializado na área, a Saeculum – Revista de História.

____________________________________________

Estrutura Curricular

O/a discente do curso de Mestrado em História do PPGH-UFPB deve cumprir 22 créditos, distribuidos em: 10 créditos em 3 disciplinas obrigatórias e 12 créditos em disciplinas optativas. Os/as bolsistas devem também cumprir outros 2 créditos referentes ao Estágio de Docência.

 

Disciplinas Obrigatórias:

METODOLOGIA DA HISTÓRIA - EHSH (60 horas, 4 créditos) - Revolução científica e método científico. Erudição histórica e formulações heurísticas. O método filológico e a crítica documental. O método histórico e a ciência histórica. Métodos e técnicas da pesquisa histórica. Correntes metodológicas do século 20. A revolução documental e o estatuto do testemunho. Crítica ao documento/monumento e utilização de fontes históricas. Método e produção do conhecimento histórico.

TEORIA DA HISTÓRIA - EHSH (60 horas, 4 créditos) -  Estudo das Teorias da História no que concerne às explicações do processo histórico e ao conhecimento sistemático, considerando suas implicações metodológicas e ideológicas sobre a prática dos historiadores. A reflexão sobre os referenciais teóricos norteadores das várias Escolas Históricas, privilegiando as noções de objeto de estudo, modelos de escrita, critérios de cientificidade e procedimento de sistematização do saber histórico. A discussão teórica sobre as formas de elaboração e vulgarização do conhecimento histórico a partir de vínculos fundamentais entre História e Memória, tendo em vista as relações entre os historiadores e a sociedade. Cultura Histórica, Ensino de História e Saberes Históricos. 

ou

TEORIA DA HISTÓRIA - H&R (60 horas, 4 créditos) - Estudo das Teorias da História no que concerne às explicações do processo histórico e ao conhecimento sistemático, considerando suas implicações metodológicas e ideológicas sobre a prática dos historiadores. A reflexão sobre os referenciais teóricos norteadores das várias Escolas Históricas, privilegiando as noções de objeto de estudo, modelos de escrita, critérios de cientificidade e procedimento de sistematização do saber histórico. A discussão teórica sobre as formas de elaboração e vulgarização do conhecimento histórico a partir de vínculos fundamentais entre História e Memória, tendo em vista as relações entre os historiadores e a sociedade. Cultura Histórica, História e Regionalidades. Escalas de análise. Recortes espaciais e processos regionais, nacionais e globais.

SEMINÁRIO DE DISSERTAÇÃO (30 horas, 2 créditos) - Seminário Integrador entre a área de concentração História e Cultura Histórica e a respectiva linha de pesquisa (Ensino de História e Saberes Históricos ou História e Regionalidades). Historiografias, fontes e metodologias. Defesa da temática e formulação da pesquisa do discente a partir de texto elaborado, com posterior arguição de um professor leitor.

 

Disciplinas Optativas:

TÓPICOS ESPECIAIS EM HISTÓRIA E CULTURA HISTÓRICA I (60 horas, 4 créditos) - Memória, consciência histórica e cultura histórica. Cultura histórica e historiografia. Política, práticas sociais, saberes e cultura histórica. Usos do passado. Poder simbólico e hegemonia. Cultura histórica e representações. Cultura Histórica e formação de identidades sociais. Cultura histórica e regionalidades.  

TÓPICOS ESPECIAIS EM HISTÓRIA E CULTURA HISTÓRICA II (60 horas, 4 créditos) - Cultura Histórica, imaginários, mito e fenômenos religiosos. Identidade religiosa. Ateísmo. Poder e religião.

TÓPICOS ESPECIAIS EM HISTÓRIA CULTURAL I (60 horas, 4 créditos) - As principais abordagens no campo da História Cultural. Perspectivas de caráter teórico-metodológico para as pesquisas com História Cultural tendo como perspectiva a história da leitura, dos livros, dos periódicos e das práticas de leitura. Representações, cultura, imaginário. História e Narrativa. 

TÓPICOS ESPECIAIS EM HISTÓRIA CULTURAL II (60 horas, 4 créditos) - História e Cultura Histórica. Patrimônio Cultural. Patrimônio Material e Imaterial. Diversidade Patrimonial. Patrimônio, documento e monumento. Patrimônio Cultural no Brasil. Patrimônio e pesquisa histórica. Ensino de História e Patrimônio. Educação Patrimonial.

TÓPICOS ESPECIAIS EM HISTÓRIA POLÍTICA I (60 horas, 4 créditos) -  As novas abordagens da Histórica política. Formas de participação política. Cultura política e representações de poder. Poder, política e sociedade. Modos de dominação, sociedade e Estado. Relações de poder, elites políticas e eleições. Mitos e imaginários políticos. Política e Regionalidades. Relações de poder e ensino de História. 

TÓPICOS ESPECIAIS EM HISTÓRIA POLÍTICA II (60 horas, 4 créditos) - A Formação do Estado-Nação no Brasil. Estudo da sociedade brasileira no século XIX. Experiências históricas e culturas políticas. Redes familiares, estratégias e trajetórias no cenário da política. A história da saúde, das doenças e relações de saber e de poder. Impressos, imprensa, poder e política. História da educação no Oitocentos e cultura política.

TÓPICOS ESPECIAIS EM HISTÓRIA SOCIAL I (60 horas, 4 créditos) - História social, poder e política. O historiador e a história do tempo presente; concepções teóricas acerca das relações entre classes sociais, política e Estado; Culturas de classe; a centralidade da esfera do trabalho, classes sociais e interseccionalidades; capitalismo e escala espacial: a história contemporânea entre o regional, o nacional e o global. Modos de dominação, sociedade e Estado. Marxismo e política.

TÓPICOS ESPECIAIS EM HISTÓRIA SOCIAL II (60 horas, 4 créditos) - Pensamentos de Intelectuais na Diáspora Africana. Pan-africanismo. Negritude. Quilombismo. Feminismo Negro. Atlântico Negro e Diásporas. Literatura e Relações Raciais. Decolonialidade. Interseccionalidade: raça, gênero, classe. Intelectualidade Indígena.

TÓPICOS ESPECIAIS EM HISTÓRIA E HISTORIOGRAFIA I (60 horas, 4 créditos) - A relação ativa entre teoria, metodologia e historiografia. Interseções entre história política e social na historiografia brasileira. Sujeitos históricos: percepções historiográficas sobre sujeitos e resistências na História. Estado, cultura histórica e historiografia. Implicações políticas do ofício do historiador.

TÓPICOS ESPECIAIS EM HISTÓRIA E HISTORIOGRAFIA II (60 horas, 4 créditos) - Questões e debates da produção do conhecimento histórico no mundo contemporâneo e a revisitação dos clássicos da historiografia. Intersecções entre a produção acadêmica e a cultura histórica.

TÓPICOS ESPECIAIS EM LINGUAGENS HISTORIOGRÁFICAS I (60 horas, 4 créditos) - História, historiografia, narrativas, e linguagens digitais e audiovisuais. Linguagens historiográficas e fontes históricas. História visual, Cultura visual. Narrativas visuais. Produção audiovisual. Fotografia. Histórias em Quadrinhos. Cinema. Televisão. Teatro. Performance. Música. Artes Plásticas. Literatura. Imprensa. Internet. Mídias Digitais. Jogos e Cultura Histórica. Linguagens visuais no Ensino de História.

TÓPICOS ESPECIAIS EM LINGUAGENS HISTORIOGRÁFICAS II (60 horas, 4 créditos) - Linguagens historiográficas e fontes históricas. História oral, abordagens teórico-metodológicas: relação com memória, narrativa e historiografia. História oral e os desafios contemporâneos. História escrita e História oral. Saberes históricos, imagens e oralidades.

TÓPICOS ESPECIAIS EM HISTÓRIA E ENSINO DE HISTÓRIA I (60 horas, 4 créditos) - A especificidade do Ensino de História enquanto campo de pesquisa; linguagens historiográficas na pesquisa sobre o Ensino de História e sua produção discursiva; os processos de circulação e de ensino de História em espaços escolares e não escolares; cultura histórica escolar em sua materialidade na perspectiva da pesquisa do ensino de história.

TÓPICOS ESPECIAIS EM HISTÓRIA E ENSINO DE HISTÓRIA II (60 horas, 4 créditos) -  Abordagens das práticas e saberes referentes ao ensino de história em sua relação com as diversas disciplinas escolares; conhecimento escolar, processo social e experiências culturais; ensino de história e cultura histórica; intencionalidades, sensibilidades, mundo do trabalho e ensino de história; memória, patrimônio cultural, experiência social e ensino de história; linguagens, cultura e ensino de história; história e ensino de história dos sujeitos subalternizados. 

____________________________________________ 

Trabalho Final de Curso / Dissertação de Mestrado em História 

Verificado o cumprimento de todos os pré-requisitos até o 18º mês após sua matrícula (10 créditos em disciplinas obrigatórias, 12 em disciplinas optativas, 2 créditos obrigatórios de estágio de docência para bolsistas, comprovação em prova de proficiência em uma língua estrangeira (inglês, espanhol, francês, italiano ou alemão) e defesa de Exame de Qualificação), a/o candidata/o ao título de Mestra/e em História estará apta/o, no mínimo em 12 e no máximo em 24 meses (em casos especiais, a depender da decisão do Colegiado, pode-se acrescer até 6 meses de prorrogação), a defender seu Trabalho Final de Curso, sua Dissertação de Mestrado em História. 

Por Dissertação de Mestrado em História entende-se um texto autoral e inédito, estruturado em partes articuladas entre si, no qual o(a) discente desenvolve sua análise acerca de determinadas problematizações relativas a processos históricos e às condições de produção do conhecimento e/ou do ensino de História. As problematizações que constituem seu objeto de estudo, definido na relação tempo-espaço a partir da delimitação justificada de recortes temporais e espaciais específicos, devem ser desenvolvidas em análises baseadas na reflexão de marcos teóricos e procedimentos metodológicos de inquirição e tratamento de fontes primárias característicos da área de História, em diálogo articulado com o conhecimento acumulado pela historiografia dedicada a temas e/ou objetos semelhantes.

____________________________________________ 

Sæculum – Revista de História

Sæculum – Revista de História é publicada pelo  Departamento de História da UFPB desde 1995 e, a partir de fins de 2004, passou a ser também o periódico do Programa de Pós-Graduação em História. Publicada a cada semestre, é uma revista voltada à divulgação e debate de pesquisas no campo da História e da Cultura Histórica e suas diversas interfaces, abrindo espaço para o diálogo entre pesquisadores do Brasil e do exterior. Está avaliada como Qualis B1 na área de História pela CAPES (Avaliação 2013-2016) e é indexada no DOAJ (Directory of Open Access Journals), Google Scholar e no Latindex.  

____________________________________________

 

Secretaria

GERALDO NEVES GOMES JÚNIOR - Técnico-Administrativo 

Durante a pandemia de COVID-19, tendo em vista que a Secretaria encontra-se fechada e presta atendimento somente por via remota, contatos mais rápidos e simples também podem ser feitos também via Whatsapp durante o horário comercial: +55 83 9950-8915 . Preferencialmente, os contatos devem ser feitos pelo e-mail ufpbppgh@gmail.com .


Página Alternativa


Coordenação do Programa